Nono aniversário do meu blog

Foi há 9 anos que criei o meu blog/este blog “Ana, Go Slowly”.
Lembro-me como se fosse hoje.
Estava de férias, em casa, e resolvi que tinha que ser naquele dia! Afinal, já tinha imensos conteúdos sobre minimalismo, que fui escrevendo ao longo de 2011. O minimalismo tinha começado a mudar por completo a minha vida há um atrás e eu precisava de partilhar isso com o mundo!


Desde que me lembro que escrevo, em diários, cadernos, fazia letras de músicas improvisadas enquanto cantava em português e depois em inglês 😄
Adorava escrever na máquina de escrever do meu pai que ainda hoje tenho na minha estante. É um dos meus objectos preferidos.
Na escola escrevíamos cartas entre o nosso grupo de amigas. Era tão bom partilhar os nosso dramas, os amores e os desamores.

Na escrita comigo mesma sempre gostei de escrever sobre o dia-a-dia e também as minhas reflexões sobre a vida e o mundo. Mas só em 2012 tive coragem de começar a partilhar. E acho que a coragem só veio por uma razão: o que o minimalismo trouxe à minha vida foi tão bom que só queria partilhar tudo toda a gente, para que mais pessoas pudessem sentir o mesmo.

Fi-lo por mim e pelos outros. Sentia-me a morrer aos bocadinhos, numa vida que não parecia ser a minha, apesar de ter sido aquela que escolhi. O blog trouxe-me alegria, entusiasmo, um propósito.

Nessa tarde de 22 de Dezembro de 2012, comecei a escrever nomes num papel, a desenhar… Eu sabia que me iria lembrar de alguma coisa.
Já partilhei várias vezes que um dos objectivos do blog também era ter uma espécie de compromisso comigo mesma, para garantir que vivia mais devagar, que poderia abrandar. Esta continua a ser a minha luta, até hoje. Toda a vida me lembro de ser ansiosa, de ficar stressada e às vezes em pânico. De querer aproveitar tudo ao máximo, ser hiper mega produtiva. Na universidade quase nem dormia, os dias tinham que render para fazer tudo aquilo que queria.
No ano de 2011 li muito sobre minimalismo, aprofundei o tema ao máximo (acontece sempre que me apaixono por algum tema) e nesse momento, em que estava à procura do nome para o blog, lembrei-me do mantra “Smile, breathe and go slowly” do monge budista Thich Nhat Hanh. Era isso mesmo que precisava! Sorrir mais (precisava desesperadamente de ser mais feliz), respirar mais e andar mais devagar (dada a minha ansiedade e o estar sempre em modo acelerado).

Como adoro bolinhas, o primeiro logo feito por mim tinha o nome do blog com bolinhas e as cores já eram parecidas com o actual logo, que foi feito anos mais tarde pela querida Krystel.

O primeiro post foi esta frase do Nelson Mandela que gosto muito “It always seems impossible until it’s done”. Sei que hoje em dia parece muito fácil criar um blog, mas na altura queria mesmo que corresse bem e estava cheia de medo que não resultasse, que acabasse o conteúdo, que eu não me conseguisse comprometer comigo mesma, enfim…. tentas dúvidas e medos! Esta frase deu-me a força para avançar.

Na minha primeira fotografia de perfil que coloquei no blog via-se um pouco do meu vestido branco às bolinhas pretas e as minhas sabrinas melissa. Demorei bastantes anos até colocar uma fotografia em que se visse quem eu era. Não queria que ninguém descobrisse. Ficava aterrorizada só de pensar que poderiam descobrir que era eu. Nem as minhas melhores amigas sabiam que eu tinha criado o blog.

Não estava ainda preparada para partilhar fosse com quem fosse. Talvez algum medo que me julgassem. Sentia muito isso em relação aos colegas de trabalho também.

A primeira pessoa a descobrir foi a M. numa altura em que eu, sem querer, partilhei algo no facebook. Quando ela viu o nome do blog e começou a ler percebeu que era eu 😅 Senti-me despedida, descoberta! E agora?

A seguir foi a S. Fazíamos yoga juntas e gostávamos dos mesmos temas. Falávamos tantas vezes sobre minimalismo. Até que ela encontrou o meu blog na net e um dia, no final de uma aula de yoga, me perguntou se o blog era meu. Mais uma vez fiquei um pouco sem saber onde me meter, mas creio que foi a partir daqui que percebi que não valia a pena esconder-me. As pessoas gostavam do que escrevia. Fui recebendo bons feedbacks de pequenas grandes mudanças que as pessoas estavam a sentir nas suas vidas, apenas por implementarem algumas das dicas que partilhava.

O blog estava a cumprir a sua missão e eu sentia-me tão feliz por isso!

Sonhei desde que criei o blog criar o meu próprio emprego, viver daquilo que mais me apaixonava, não necessariamente do blog, mas de algo relacionado. Mas achava sempre que seria completamente impossível. O blog teria que continuar a ser um hobbie.

A primeira palestra aconteceu em 2016, sobre minimalismo e com alguns exercícios de yoga, no jardim botânico do Porto e foi maravilhosa. Saí de lá de coração cheio e apesar de ter terminado perto da hora de almoço, parecia que tudo aquilo que tinha recebido me tinha enchido completamente o estômago 😄

Os convites para entrevistas em revistas e jornais foram surgindo e eu nem queria acreditar!

O blog foi evoluindo e acompanhando os temas que se foram tornando mais apaixonantes para mim.
Portanto, para além de minimalismo e slow living, em 2016 comecei a falar de desperdício zero e a partilhar a minha jornada até lá! Foi assim que fundei o movimento lixo zero portugal, que surgiu o grupo de facebook e o site agranel.pt.

Em 2017 comecei a dar mais entrevistas e a fazer algumas palestras. Tudo isto conciliado com o meu trabalho, enquanto Gestora de Projecto.

Adoraria ter feito a transição de uma forma gradual, ia-me dedicando mais aos meus projectos à medida que ia conseguindo e quando sentisse que aquilo que ganhava era suficiente, despedia-me.

A vida tinha outros planos e fiquei gravemente doente, com burnout e depressão no final de 2017.

Só em 2018 comecei a viver inteiramente das minhas paixões com as palestras, workshops e aulas de yoga a tempo inteiro. Os anos de minimalismo foram fundamentais para me ajudar na transição, tinha poupado imenso dinheiro e sabia que se fosse necessário, ainda conseguia simplificar mais a minha vida.

Obrigada querido blog por teres sido o meu escape, por me teres dado esperança e, sobretudo, por me teres dado um propósito. Obrigada por me teres permitido criar o emprego dos meus sonhos!
Obrigada por me acompanhares em todas as fases e mudanças de vida. Tenho pena de nem sempre conseguir escrever tanto quanto gostaria, às vezes por falta de tempo e outras por não saber bem colocar em palavras algumas das minhas vivências. Acabo por deixar aquilo que me é mais íntimo para o meu diário.

Obrigada também por me teres permitido conhecer tanta gente que também tinha blogs na altura! Isso foi maravilhoso! E há amizades que mantenho até hoje 🙂

Obrigada também a ti, querida/o leitor/a que estás desse lado e me acompanhas!

Venham mais 9, 19, 29 anos para este blog que tanto adoro!

  • Ana Milhazes, Socióloga, Coach, Formadora, Instrutora de Yoga, fundadora do Lixo Zero Portugal

    Bem-vindos ao Ana, Go Slowly!

    Aqui cabe tudo aquilo que nos leva em direcção a uma vida mais simples, sustentável e feliz: minimalismo, slow living, desperdício zero, hábitos saudáveis, yoga e meditação.

  • Embaixadora

  • 10% de desconto com o código vidalixozero

  • Como começar?

  • O meu livro

    Vida Lixo Zero
  • Categorias