Coliving em Lagos

O que é o COLIVING?

É uma espécie de “viver em conjunto” 😄

Partilhamos casa (às vezes quarto), todos os espaços comuns (cozinha, sala, espaços exteriores) e também o espaço de trabalho, que pode ser no mesmo espaço ou não. Geralmente há um espaço à parte dedicado ao coworking.

De certa forma, acaba por ter algumas semelhanças com a “residência de estudantes”, com a diferença que se destina a pessoas que já estão no mercado de trabalho.

“Coliving” surgiu originalmente de “Cohousing”, um conceito que surgiu na Dinarmarca nos anos 70. No projecto Sættedammen, viviam cerca de 35 famílias que partilhavam os espaços comuns, onde faziam refeições, actividades, festas e eventos e, de resto, tinham a sua casa privada.

Podemos encontrar vários de tipos de coliving, e diria até vários níveis, em que existe apenas a partilha do espaço físico até àqueles em que há a partilha de valores, filosofia de vida, interesses, enfim uma espécie de comunidade.

Os nómadas digitais, freelancers, trabalhadores remotos têm a possibilidade de trabalhar a partir de qualquer lado. E, muitas vezes, não querendo ter os encargos associados a fazer um contrato de arrendamento, de luz, água, gás, internet, ter que mobilar a casa, etc., preferem optar por sítios que tenham tudo isto. Geralmente, a única condição é que a estadia seja de um mês, mas já muitos sítios permitem ficar menos tempo. Portanto, pagamos o tempo que quisermos ficar.

Para além do que referi, estes espaços incluem ainda a limpeza do quarto e dos espaços comuns. Temos também acesso à máquina de lavar roupa e alguns espaços disponibilizam algumas refeições por um preço mais baixo. De qualquer das formas temos uma cozinha partilhada onde podemos preparar as nossas refeições.

A internet é de óptima qualidade pois esse é sem dúvida um aspecto muito importante num coliving. 

Como encontrar espaços de Coliving (em Portugal e no mundo inteiro)?

Já não me recordo quando foi a primeira vez que ouvi falar deste conceito. Achei super interessante e lembro-me de ter pensado “Um dia gostava de viver assim”. 

Senti que estava na altura de experimentar, expandir horizontes, conhecer novos lugares e também pessoas “like minded” (com interesses e formas de estar na vida semelhantes). 

Então comecei a minha pesquisa na internet, claro está! Falei também com amigos que são nómadas digitais e pedi algumas dicas de espaços e de contactos. 

Confesso que tive alguma dificuldade em encontrar espaços de coliving em Portugal. Por isso, comecei a fazer uma lista! (quem me conhece já sabe… foi assim que surgiu o meu blog, o movimento Lixo Zero Portugal. Quando não encontro a informação num só sítio, tenho que tratar do assunto). 

Criada a lista, foi só começar a contactar os espaços para perceber o tipo de condições, preços e também a disponibilidade para as datas que queria (uma semana). No final, fiquei surpreendida! Acabei por encontrar muitos mais espaços do que aqueles que estava à espera.

Em breve, partilharei essa informação no blog.

Como correu a minha primeira experiência?

Adorei! A minha amiga Sofia de Assunção juntou-se a mim e fomos até Odiáxere, que fica a 15 minutos de Lagos, no Algarve. 

Encontramos o Shapeless numa das pesquisas e percebemos que tinha tudo aquilo que estávamos à procura: um local na natureza (afastado da confusão da cidade), óptima ligação de internet em todo o lado (mesmo no exterior), muitos espaços onde poderíamos trabalhar (na casa principal, no exterior e no espaço de coworking), um quarto com duas camas e com algum espaço, uma cozinha grande onde pudéssemos estar à vontade e claro, que costumasse receber pessoas com quem nos identificássemos.

Fomos muito bem recebidas pelo Miguel e adoramos o grupo com quem estivemos: o Thomas, a Franzi, o Matze e o Maurius. Fizemos um churrasco de despedida, no sábado, inteiramente vegan! Foi maravilhoso!

Foi uma semana de muito trabalho (acho que nos motivamos muito uma à outra), de convívio bom, de sol e de descanso e diversão. Os mergulhos na piscina no intervalo antes de almoço e depois à tarde, no final do dia de trabalho, foram maravilhosos.

Quais as vantagens de viver num Coliving?

Ao longo do post já fui referindo várias, mas acredito que uma das maiores e mais importantes é mesmo estarmos com pessoas com quem podemos trocar ideias, que nos percebem, com quem nos identificamos. Há um sentido de comunidade.

E as desvantagens? Será que existem?

Daquilo que já fui lendo e que foram partilhando comigo, acredito que uma das grandes desvantagens poderá ser o facto de não nos identificarmos com o espaço onde estamos, as pessoas e o tipo de actividades. Vamos imaginar que vou para um sítio onde há jantares e festas todos os dias e não consigo descansar ou até ter silêncio para trabalhar à noite, por exemplo. Isso poderá ser um problema sério. Por isso, é muito importante, garantir que a casa tem espaços distintos para todos estes momentos de trabalho e de lazer. Os horários de cada um têm que ser respeitados, até porque há pessoas que estão a trabalhar com colegas que estão noutros países e portanto com diferentes fusos horários.

O custo poderá ser uma desvantagem, especialmente para os portugueses. Muitos dos espaços que encontrei praticam preços muito elevados para a nossa realidade, o foco está em atrair pessoal de fora para Portugal. Para encontrarmos preços mais baixos, teremos que viajar um bocadinho mais… Não é por acaso que nas listas de melhores sítios para nómadas digitais encontramos a Tailândia, Indonésia… De facto, o custo de vida é muito diferente, comparativamente com alguns países da Europa.
Podes também usufruir destas experiências num espaço de coliving, fazendo voluntariado nesse espaço, em troca tens a estadia gratuita. Muitos espaços têm como requisito que trabalhes cerca de 5h diárias. Informa-te sobre as áreas que estão a necessitar, pois são muito variadas.

Outro aspecto interessante, muitos espaços de coliving fazem uma espécie de entrevista previamente para nos conhecermos um bocadinho melhor, perceberem o que fazemos, as nossas dinâmicas. Considero isso muito importante! Fiz essa entrevista para a minha próxima experiência!

Próximas experiências?

Será nos Açores, em São Miguel, na Quinta do Bom Despacho. Aliás, esta foi a primeira experiência a ser marcada, mas depois acabou por surgir a oportunidade de Lagos, pois fiz a apresentação do meu livro “Vida Lixo Zero” na Biblioteca Municipal de Lagos, no dia 3 de Outubro. Então fiquei essa semana em Lagos.

Confesso que estou desejosa de conhecer a Quinta do Bom Despacho, pois é uma quinta ecológica. Há uma horta biológica, existe a política de 0% para aterro, portanto todos os resíduos são separados para reciclagem ou compostados. Estou mesmo curiosa para perceber como é na prática, pois sabemos que quando se recebe pessoal de todo o lado nem sempre é fácil manter todas as regras e práticas. Vou viajar sozinha e encontrar-me com alguns amigos que já lá estarão.
Vou partilhando a experiência nas minhas redes sociais.

E tu conhecias este conceito? Já experimentaste?

Partilha comigo, se tens interesse neste tipo de conteúdo e se gostavas de ver a lista de sites e espaços que encontrei.

  • Bem-vindos ao Ana, Go Slowly!

    Aqui cabe tudo aquilo que nos leva em direcção a uma vida mais simples, sustentável e feliz: minimalismo, slow living, desperdício zero, hábitos saudáveis, yoga, meditação e muito mais.

    Ana Milhazes
    Autora • Socióloga • Coach • Activista • Instrutora de Yoga •
    Fundadora do Lixo Zero Portugal

    Subscreve o Ana, Go Slowly

    Inspira-te com os meus conteúdos sobre Minimalismo, Desperdício Zero e Slow Living

    Recebe gratuitamente conteúdos exclusivos e novidades em primeira mão

    O meu Livro

  • Temas