Eu faço psicoterapia e tu?

Procurei a psicoterapia há cerca de 2 anos, em abril de 2019. Continuo até hoje.

Tive muitos momentos na minha vida em que poderia e deveria ter recorrido. Mas quando era adolescente (altura em que mais precisei) falava-se muito pouco de saúde mental e infelizmente remete-se tudo para a adolescência “é uma fase difícil”, “é normal estar deprimida”, “é normal não lhe apetecer fazer nada, fechar-se no quarto…”. Felizmente sobrevivi à adolescência, mas penso muitas vezes que foi uma sorte, um acaso… talvez o universo já tivesse planos para que as coisas se encaminhassem.

Cresci com a ideia de que tenho que ser forte, resistente e de que não preciso de pedir ajuda. Então nunca pedi! Também me resignei num trabalho onde não era feliz, numa relação onde não era feliz… era a vida e a vida é mesmo assim! Achava que não poderia gostar demasiado do meu trabalho, só qb. Portanto viver das minhas paixões estava fora de questão! Eram paixões e não trabalho…

Mais tarde o divórcio, o voltar a acreditar no amor e outra queda. Foi neste exacto momento que decidi: “vou procurar uma Psicoterapeuta!”. Havia questões do passado que sabia que estavam no armário como aliás a minha Psicoterapeuta me disse: “A Ana tem muitos esqueletos no armário, está tudo organizado, mas vamos ter que ir buscar esses esqueletos”. Até na cabeça sou organizada, pensei eu 😂 mas também aqui estava a guardar tralha, lixo…

E o conceito de lixo zero não diz respeito apenas aos resíduos, mas também ao lixo mental!
A psicoterapia é das coisas que mais me tem ajudado e agradeço, a cada sessão, por ter encontrado a pessoa certa! Foi a recomendação de uma amiga de uma amiga, mas na altura eu nem tinha informação suficiente para saber que seria o match perfeito! Mas percebi-o na primeira consulta 😊

Procurei a psicoterapia quando me sentia um caco… mas não é preciso chegar a esse ponto! É justamente antes que devemos procurar este apoio.

Desejo que todos possamos ter este tipo de ajuda, quando necessário, que seja acessível a todos e que acima de tudo percebamos que as questões mentais querem atenção tal como uma gripe ou outra coisa qualquer. Há cuidados, prevenção e estas questões devem ser valorizadas pois têm um impacto gigante na nossa vida! Enquanto a gripe passa, estas questões vão-se transformando numa grande bola de neve! E infelizmente há coisas que não se resolvem sozinhas.

Nota: a t-shirt é da querida Ana Siqueira que faz um trabalho lindo com mensagens super importantes.

  • Bem-vindos ao Ana, Go Slowly!

    Aqui cabe tudo aquilo que nos leva em direcção a uma vida mais simples, sustentável e feliz: minimalismo, slow living, desperdício zero, hábitos saudáveis, yoga, meditação e muito mais.

    Ana Milhazes
    Autora • Socióloga • Coach • Activista • Instrutora de Yoga •
    Fundadora do Lixo Zero Portugal

    Subscreve o Ana, Go Slowly

    Inspira-te com os meus conteúdos sobre Minimalismo, Desperdício Zero e Slow Living

    Recebe gratuitamente conteúdos exclusivos e novidades em primeira mão

    O meu Livro

  • Temas