Livros abatidos

Sabias que há inúmeros livros que são abatidos?

Caso se encontrem ligeiramente danificados ou rasgados, não são vendidos e são posteriormente destruídos!
Nas livrarias e outros espaços de venda de livros, aqueles que se encontram danificados são separados e encaminhados para as editoras.
Nas editoras estes livros são destruídos (guilhotinados) e encaminhados para a reciclagem.

Como descobri esta realidade?

Recebi um e-mail da editora a informar que seriam destruídas algumas unidades do meu livro “Vida Lixo Zero” (eu pensei: “Como? Não pode ser! Quero que esses livros sejam enviados todos para mim!” A informação que recebi foi que não havia forma de recuperar os livros devido ao processo ser automatizado.
Fui posteriormente contactada por uma pessoa que segue o meu trabalho (e que trabalhou numa livraria) e que não queria acreditar que isto acontecia, quando viu livros meus (com um pequeno rasgão) a serem encaminhados para abate.

O que podemos fazer para evitar que os livros sejam destruídos?

  • Enviar e-mail para as editoras a questionar o que acontece aos livros em “mau estado” ou, no caso de já sabermos que acontece aquilo que descrevo neste post, enviar e-mail a sugerir e também a exigir que esta situação seja alterada. Enquanto clientes temos esse direito. Encontras aqui dois exemplos de e-mails que poderás usar.
  • Partilhar e divulgar esta situação entre amigos, familiares, conhecidos e nas redes sociais.
  • Consciencialização dos autores sobre este tema, para que mais autores se possam juntar a esta causa e optar pelo não abate dos seus livros.
  • Responder a este pequeno questionário que preparei para recolher a tua opinião e perceber se comprarias livros com defeito e se tens outras sugestões.

O que poderia ser feito com os livros que são encaminhados para abate?

  • Vender os livros ao preço mais baixo (tendo em conta a lei do preço baixo que tem que ser respeitada obviamente).
  • Fazer doações a escolas, bibliotecas, instituições e associações, para que todos tenham acesso a livros
  • O próprio autor vender esses livros ou fazer give-aways nas suas redes sociais.
  • Se os livros estiverem em muito mau estado, reutilizá-los fazendo obras de arte/trabalhos manuais, por exemplo, para sensibilizar para estes e outros temas.

Aquilo que fiz e ainda quero fazer

  • Quero muito contribuir para alterar esta realidade! São gastos recursos na produção e distribuição de livros, e, são gastos recursos novamente na recolha e destruição dos mesmos, por vezes por pequenos defeitos. Nunca se falou tanto em sustentabilidade como agora, por isso, temos que exigir mais das empresas.
  • Pelo menos, em relação aos meus livros, estou disposta a fazer o que for necessário para que mais nenhum livro seja abatido e para que os mesmos possam ser enviados para mim.
  • Enviei um documento para a editora com toda a explicação e sugestões para alterar esta situação.
  • Estou a dar voz a esta causa, através do meu blogue e das redes sociais.

Junta-te a mim e esta causa. Partilha usando a hashtag #livrosnolixonão

Responde ao questionário. E se tiveres mais alguma informação ou sugestão por favor entra em contacto comigo.

Photo by Patrick Tomasso on Unsplash

  • Bem-vindos ao Ana, Go Slowly!

    Aqui cabe tudo aquilo que nos leva em direcção a uma vida mais simples, sustentável e feliz: minimalismo, slow living, desperdício zero, hábitos saudáveis, yoga, meditação e muito mais.

    Ana Milhazes
    Autora • Socióloga • Coach • Activista • Instrutora de Yoga •
    Fundadora do Lixo Zero Portugal

    Subscreve o Ana, Go Slowly

    Inspira-te com os meus conteúdos sobre Minimalismo, Desperdício Zero e Slow Living

    Recebe gratuitamente conteúdos exclusivos e novidades em primeira mão

    O meu Livro

  • Temas