Estive no Boom Festival como eco guardian, um projecto da Associação Zero Waste Lab. Éramos um grupo de 17 elementos (de 11 nacionalidades diferentes!) e o objectivo foi essencialmente andarmos um pouco por todo o recinto do festival a alertar para as questões ambientais. O festival é já de si bastante consciente e os visitantes também. Vemos muito pouco lixo no chão, até mesmo beatas. É mesmo incrível e confesso que foi isso que mais me impressionou.

Habituada a frequentar festivais, fico sempre chocada com a quantidade de lixo que vejo no chão, sobretudo copos! No Boom todos os copos e pratos são feitos à base de plantas e, portanto, biodegradáveis. A solução ideal será sempre usarmos o nosso copo, prato e talheres e foi isso que fiz grande parte das vezes. Só não o fiz quando o tamanho do prato não era o ideal, ou quando o prato estava demasiado sujo (aconteceu-me depois de comer pad thai, não foi fácil tirar a gordura!).

Enquanto eco guardians, usámos uns cartazes com mensagens bem ilustrativas daquilo que estávamos a fazer e andávamos pintados de azul. Foi incrível a quantidade de pessoas que vinham ter connosco, que nos pediam abraços, fotos e dicas.

Se nos primeiros dias achava que não iria aguentar, devido às condições adversas: o calor, os kilometros que tínhamos que percorrer, o não estar à vontade a falar com tantos estranhos ao mesmo tempo, rapidamente esse desconforto passou. Entreguei-me e deixei-me levar pelo espirito boom. E foi o melhor que poderia ter feito. Saí totalmente da minha zona de conforto! Afinal é assim que crescemos!

O espirito que lá se vive é mesmo incrível: o à-vontade de toda a gente, a possibilidade se sermos quem quisermos, sem pensar em mais nada, sem estarmos preocupados com os outros irão pensar. Não há julgamentos, apenas aceitação, compreensão, muito amor e muito boa energia. Incrível como se sentia uma energia perfeitamente alinhada com aquilo em que acreditamos. Sabem quando queremos uma coisa ou quando falamos em determinado assunto e algo surge perfeitamente alinhado com isso? Foi precisamente isso que aconteceu no Boom, a todas as horas e a todos os minutos. Bastava falarmos em algo e aparecia-nos à frente! E é este tipo de alinhamento que temos que tentar trazer para o nosso dia-a-dia. O que não é fácil, pois o tipo de ambiente e energia que lá se criam é único. Mesmo que não gostem do tipo de música não deixem de ir. Para além de descobrirem coisas novas e abrirem horizontes, há musica e actividades para todos os gostos. A zona do sacred fire tem essencialmente música do mundo e parece que estamos noutro festival.

A zona dos being fields, onde se pode praticar yoga e meditação e fazer imensos workshops dentro dessas áreas é espectacular e vale bem a pena passar grande parte da manhã e da tarde nesse tipo de actividades.
Conheci pessoas e projectos incríveis. Vivi dias inesquecíveis. Só me apetece lá voltar (agora só em 2020!!)!

Os primeiros dias foram também super intensos para mim. Tanta cor, tantas coisas diferentes, tantas obras de arte… cada pormenor foi detalhadamente pensado e sabiam que grande parte dos materiais utilizados no Boom são reutilizados do Rock in Rio? Há uma equipa do Boom que no final do Rock in Rio vai recolher aquilo que é considerado lixo.

Foram 7 dias de festival (no meu caso 12, pois fui mais cedo) absolutamente incríveis! Para quem vai trabalhar e tem a possibilidade de ir mais cedo, aconselho vivamente, pois desta forma consegue-se experienciar tudo com mais calma, sem a confusão típica de quando começa o festival. Nos primeiros dias é espectacular termos o lago só para nós e usufruirmos daquela paisagem espectacular!

Quando começa o festival, já estamos no mood certo, prontos para receber toda aquela gente! Saímos da tenda de manhã e só regressamos à noite! O programa é gigante e é difícil escolher! Mas isso é que é espectacular, podemos escolher tudo o que quisermos.

Há também uma parte dedicada às crianças, onde há imensas actividades (imagine dragons) e na zona do sacred fire (mesmo ao lado) podemos também nós libertar a nossa criança interior. Deixei-me simplesmente ir, como há muito não acontecia.

Todos deveriam ir ao Boom, nem que fosse apenas uma vez na vida... É difícil descrever tudo o que lá vivi... Só espero repetir em 2020.

Ainda tive oportunidade de fazer um workshop sobre como podemos fazer os nossos próprios detergentes e onde partilhei um pouco de como é viver como zero waster. Partilhei ainda a minha história de vida e a recente mudança que fiz na minha vida profissional e recebi um feedback incrível. Adorei todo o amor que recebi! Não tenho como vos agradecer :)

Obrigada Boom!